quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Crítica: Missão: Impossível 4 - Protocolo Fantasma



Missão: Impossível 4 - Protocolo Fantasma (Mission Impossible - Ghost Protocol, 2011) dá um retorno digno à franquia Missão: Impossível . Se você está receoso em ver este filme, seja porque pensa que Tom Cruise não faz mais bons filmes ou porque acha que esta franquia já devia ter acabado, não fique! O filme é simplesmente um ótimo filme de ação com (ótimas) pitadas de comédia.
Eis a história do filme: Acusado pelo bombardeio terrorista ao Kremlin, o agente da IMF Ethan Hunt (Tom Cruise)  é desautorizado junto com o resto da agência quando o Presidente dá início ao “Protocolo Fantasma”. Deixado sem qualquer recurso ou apoio, Ethan tem que encontrar uma maneira de limpar o nome de sua agência e prevenir um outro ataque. Para complicar ainda mais as coisas, Ethan é forçado a assumir esta missão com uma equipe de colegas fugitivos da IMF cujos motivos pessoais ele não conhece completamente.
Há muitas cenas de ação (e também de perseguição) incluindo a escalada de Ethan no maior prédio do mundo (com impressionantes 829 metros de altura) em Dubai  e uma ótima perseguição em meio a uma tempestade de areia. E a história e os segredos são facéis de entender (já que são explicados de cabo a rabo).
Brad Bird, o diretor de Missão: Impossível 4 (que antes só havia dirigido filmes de animação, como Os Incriveís) fez um bom trabalho pra fãs (ou não-fãs) de M:I nenhum colocar defeito!

Nenhum comentário:

Postar um comentário