terça-feira, 27 de novembro de 2012

Amanhecer, 007 novamente no topo; Origem dos Guardiões e Aventuras de Pi estreiam

Na América do Norte: Três filmes estrearam nos cinemas norte americanos na quarta-feira para aproveitar o feriado de Ação de Graças. Mas quem dominou foi novamente Amanhecer Parte 2 - O Final e 007 Operação Skyfall. O primeiro fez US$43 milhões no final de semana (sex-sáb-dom) e já tem US$227 milhões nas bilheterias - US$300 milhões ainda é uma possibilidade, ainda mais devido a falta de grande competição até a estreia de O Hobbit - Uma Jornada Inesperada dia 14. Skyfall arrecadou mais US$35 milhões para um total de US$221 mi e sua bilheteria final deve ficar entre US$280 e US$300 milhões. Em terceiro Lincoln foi a grande surpresa. O drama dirigido por Steven Spielberg teve um aumento de 22% nas bilheterias (mesmo não tendo um aumento grande de cinemas), fez mais US$25 milhões e já tem US$62 milhões. As chances de ultrapassar os US$100 milhões são praticamente totais.
Em quarto a mais nova animação da DreamWorks Animation, A Origem dos Guardiões, estreou com péssimos US$23 milhões. O filme deve se segurar bem nas bilheterias e uma bilheteria de mais de US$100 milhões é possível (ex.:O Expresso Polar, filme de animação do final de 2004, estreou com quase a mesma quantia e fez US$162 milhões), mas isso não é desculpa. Esta é a pior estreia do estúdio desde que Por Água Abaixo estreou com míseros US$18 milhões em 2006. Guardiões já tem US$32 milhões nas bilheterias.
Na quinta colocação, As Aventuras de Pi surpreendeu e já tem US$30 milhões em seus primeiros 5 dias, US$10 milhões a mais do que o que era esperado. O candidato a candidato ao Oscar deve se segurar bem até o final da temporada de prêmios. Em sexto Detona Ralph teve uma queda leve (de apenas 10%) mesmo estando enfrentando competição direta de A Origem dos Guardiões e já acumula US$149 milhões nas bilheterias (US$16 milhões deste final de semana). E por último Amanhecer Violento estreou em sétimo lugar com US$21 milhões nos seus primeiros cinco dias, o que é bom para um filme que ficou guardado durante três anos e que vem recebendo críticas péssimas.

No Resto do Mundo: Amanhecer Parte 2 ficou em 1° lugar com mais US$100 milhões e seu total mundial já  é de US$578 milhões. Skyfall fez mais US$41 milhões para um total mundial de US$790 milhões. Dependendo de como será o desempenho do filme na China e Japão, o mais novo filme de James Bond pode ultrapassar o bilhão (o primeiro da Sony a conseguir tal feito, caso ocorra). E As Aventuras de Pi fez US$17 milhões em apenas quatro mercados asiáticos (China, India, Taiwan e Hong Kong), digno de nota.

domingo, 25 de novembro de 2012

Grandes Franquias V: O Massacre da Serra Elétrica

A franquia O Massacre da Serra Elétrica começou lá em 1974 com um filme de terror de mesmo nome. Depois dele, vieram três sequências, um remake, um prelúdio deste remake e mais uma sequência este ano, que começa de onde o original de 74 parou. Ao todo, são 7 filmes que compõem esta franquia. Mais sobre cada filme, a seguir.

-O Massacre da Serra Elétrica



Lançado em 1974, contava a história de uma família de assassinos canibais que sequestrava os clientes de seu posto de gasolina no Texas. Foi dirigido por Tobe Hooper (que anos mais tarde dirigiria outro dos melhores filmes de terror de todos os tempos, Poltergeist - apesar de haver controvérsias em relação a isso) e, aclamado pela crítica, foi um sucesso de bilheteria que ajustado pela inflação teria feito mais de US$130 milhões. O filme foi responsável por inventar grande parte do que hoje são clichês dos "slasher movies" e tornou o assassino Leatherface um personagem bastante conhecido.

-O Massacre da Serra Elétrica 2




A continuação demorou a vir. Novamente dirigida por Tobe Hooper, só foi lançada em 1986; e só ocorreu pois os slasher movies tinham se tornado extremamente populares com filmes como Halloween (1978-US$159 milhões, ajustado pela inflação) e Sexta-Feira 13(1980-US$113 milhões, idem) e as diversas continuações que ambos os filmes tiveram. Massacre 2 recebeu críticas mistas e foi muito criticado por ter muito sangue (ao contrário do 1° filme) e, enquanto o original se levava a sério, a continuação virou uma comédia de terror. Apesar de ter feito mais que o custo de produção, foi um fracasso se comparado com o original.

-Leatherface: O Massacre da Serra Elétrica 3




Na época antes de seu lançamento em 1990, o filme ficou um pouco famoso devido a briga do estúdio New Line Cinema com a MPAA (o órgão que faz as classificações indicativas dos filmes nos E.U.A). A MPAA queria dar ao filme uma classificação X que proibiria todos os menores de 17 anos de ver o filme. Já a New Line queria uma mais leve, um R (os menores de 17 anos poderiam ir aos cinemas, se acompanhados dos responsáveis). No final a New Line venceu, mas o filme foi um fracasso de bilheteria e crítica.

-O Massacre da Serra Elétrica - O Retorno



O Massacre da Serra Elétrica - O Retorno de 1994 não trouxa nada de bom a franquia. É considerado tão ruim quanto o anterior e foi um fracasso ainda maior de bilheteria. E um dos poucos motivos para vê-lo, além, é claro, se quiser saber o que acontece na continuação da franquia, é por ser um dos primeiros filmes de Renée Zellweger e Matthew McConaughey, na época, praticamente desconhecidos. Os múltiplos fracassos deste filme independente fizeram com que ninguém se interessasse em fazer uma sequência.

-O Massacre da Serra Elétrica



Mas, nove anos depois, em 2003, foi feito um remake. O Massacre da Serra Elétrica (2003) foi feito pela Platinum Dunes, de Michael Bay, estúdio responsável por diversos outros remakes atuais de filmes de terror antigos como Sexta-Feira 13 e A Hora do Pesadelo. Apesar da maioria de críticas negativas (porém melhores que os dois filmes anteriores), o remake foi um enorme sucesso de bilheteria (US$107 milhões mundialmente) e foi bem recebido pelo público em geral. Isso fez com que a Platinum fizesse uma continuação- ou melhor, um prelúdio- três anos depois, a menor espera por um filme da franquia.

-O Massacre da Serra Elétrica - O Início




Lançado em 2006, O Massacre da Serra Elétrica - O Início fez menos da metade do que o anterior (US$51 milhões) nas bilheterias e recebeu algumas das piores críticas da franquia. A Platinum disse que não produziria outros filmes da franquia, após esse fracasso.

-O Massacre da Serra Elétrica - A Lenda Continua




Em 2009 o estúdio Lionsgate comprou os direitos para produzir novos filmes da franquia. O primeiro desses possíveis futuros filmes foi lançado em Janeiro de 2013. O Massacre da Serra Elétrica - A Lenda Continua foi lançado em 3D e é uma continuação direta do filme original de 1974, contando a história de uma jovem que viaja para o Texas com seus amigos para pegar a sua parte da herança de uma avó desconhecida. Entretanto, lá, ela conhecerá seu primo: Leatherface. A recepção pelos críticos foi bem ruim e a bilheteria (US$41 milhões mundialmente -apesar de que ainda falta alguns mercados para lançarem o filme, incluindo o Brasil) talvez não tenha sido tão alta para indicar quando novos filmes da franquia serão feitos.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Amanhecer Parte 2 já acumula US$350 milhões nas bilheterias

Na América do Norte: O quinto e último filme da Saga Crepúsculo finalmente fez sua estreia. Amanhecer Parte 2 - O Final fez US$141 milhões em seus primeiros três. É uma quantia espetacular, mas vale ressaltar que, ao contrário dos últimos grandes finais de sagas como Senhor dos Anéis e Harry Potter, Amanhecer não teve um grande aumento comparado com seu antecessor (Amanhecer Parte 1 fez US$138 milhões em seu final de semana de estreia). O filme quase tirou de Lua Nova o recorde da Saga Crepúsculo de maior estreia (com US$142 milhões). Até segunda ele já tinha US$151 milhões e ao que tudo indica, Amanhecer Parte 2 deve fazer uma bilheteria de pouco menos de US$300 milhões. Em segundo lugar nas bilheterias veio Skyfall, com mais US$41 milhões e um total de US$161 milhões.  O último filme de James Bond teve uma queda um pouco maior do que o que era esperado (54%) mas isso não é muito importante já que até terça ou quarta o filme deve ter ultrapassado os US$168 milhões de Quantum of Solace e se tornará a maior bilheteria de um filme do 007 (não ajustado pela inflação).  Em terceiro, o drama sobre a vida do antigo presidente americano, dirigido por Steven Spielberg, Lincoln fez sua estreia nacional após uma semana em circuito fechado. Se Lincoln, em apenas 1.775 cinemas, tivesse feito pouco mais de US$10 milhões já estaria de bom tamanho, mas o filme foi além e fez US$21 milhões. Um total de cerca de US$80 milhões está a caminho. E em quarto, o 52° Clássico Disney, Detona Ralph teve uma queda pesada de 44% e fez mais US$18 milhões. Seu total já está em US$121 milhões e fica a dúvida o quanto o filme será afetado pela estreia de A Origem dos Guardiões, filme animado da Dream Works, nesta sexta.

No Resto do Mundo:  Amanhecer Parte 2 - O Final também fez sua estreia com US$199 milhões em 61 mercados. Isso é 38% maior do que o filme anterior e se esse aumento se manter até o total final, Amanhecer fará quase US$600 milhões e, mundialmente, pode fazer até US$900 milhões. Ultrapassar o bilhão não parece ser muito possível.  Skyfall fez mais US$49 milhões e seu total fora da América do Norte já é de US$507 milhões. Mundialmente o filme alcançou o recorde de maior filme de James Bond (Casino Royale com US$599 milhões era o anterior) e já fez U$669 milhões. Um total de mais de US$850 milhões ainda está a caminho. Em terceiro Argo fez mais US$9 milhões e seu total mundial é de US$132 milhões até o momento.

sábado, 17 de novembro de 2012

Crítica: Amanhecer Parte 2 - O Final


Não sou fã de Crepúsculo. Além do filme desta crítica o único outro da Saga que vi foi o 1° Crepúsculo.
Então, não tenho como tecer comparações com Amanhecer Parte 2- O Final, e os outros três filmes anteriores. 
Amanhecer Parte 2, começa de onde o filme anterior parou e prepara o terreno para a grande batalha entre os Cullen e seus aliados contra os Volturi. Amanhecer Parte 2 não é ruim (ao contrário do que achei que seria) e é melhor que Crepúsculo em todos os aspectos. O grande problema de Amanhecer é o roteiro que, ás vezes, perde o ritmo. Mas algumas boas reviravoltas e surpresas suprem algumas falhas que o roteiro possa ter. Os atores dão atuações decentes. Nenhuma tão boa nem tão ruim que seja digna de nota. Os efeitos especiais são bons, com exceção do bebê filho de Bella e Edward logo no começo do filme. A grande batalha, o ápice deste filme, tem uma ótima ação e a grande surpresa do filme é (para quem não leu os livros, claro) totalmente inesperada. 
É incrível a reação que a Saga Crepúsculo tem nos fãs. Havia até gente chorando no cinema. Amanhecer Parte 2 - O Final é um filme bom, nada de espetacular, mas que serve como um passatempo. É muito melhor do que Crepúsculo e, dizem não só os fãs da Saga mas os críticos, que é melhor do que todos os outros filmes da franquia. Certamente Crepúsculo não será uma Saga que viverá para sempre na   memória dos não-fãs, mas este final vale a pena ser conferido. 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

As 10 Melhores Músicas do Cinema segundo a AFI (American Film Institute)

Em 2004 a AFI (American Film Institute) divulgou outra lista. Desta vez, foram eleitas as 100 melhores músicas do cinema americano. Cantando na Chuva, Amor, Sublime Amor e A Noviça Rebelde são os filmes que mais aparecem na lista, cada um com três músicas. Na lista parecem desde músicas ultraconhecidas como "Singin' in the Rain" (de Cantando na Chuva) e a recente "My Heart Will Go On" (de Titanic) a músicas pouco familiares do grande público como "Springtime for Hitler" (de Primavera para Hitler) e "The Yankee Doodle Boy" (de A Canção da Vitória). Então, eis abaixo o top 10 da AFI, com a música, o filme de qual ela foi retirada e quem a canta. E se quiser conferir os outras listas da AFI já publicadas aqui, clique aqui (Melhores Filmes), aqui (Maiores Vilões) e aqui (Frases mais Marcantes).

1)"Over the Rainbow" de "O Mágico de Oz", cantada por Judy Garland



Quem não conhece esta música? Provavelmente ninguém. "Over the Rainbow" ficou eternizada na história do cinema pela voz de Judy Garland. A música aparece logo nos minutos iniciais de O Mágico de Oz enquanto Dorothy e Totó ainda estão no Kansas.

2)"As Time Goes By" de "Casablanca", cantada por Dooley Wilson



Apesar da música ser de 1931, ela só se tornou grande conhecida do público após ser cantada por Dooley Wilson em Casablanca de 1942. Ilsa pede que o pianista do bar de Rick, Sam, toque a música "As Time Goes By" para ela. Aliás a frase "Play it, Sam. Play 'As Time Goes By'" é uma das mais conhecidas do filme.

3)"Singin' in the Rain" de "Cantando na Chuva", cantada por Gene Kelly



A sequência de Cantando na Chuva em que Gene Kelly canta a música "Singin' in the Rain" na rua em meio a uma forte chuva é uma das cenas mais conhecidas do cinema. Apesar do que alguns pensam, a música foi lançada bem antes do filme (que é de 1952), já em 1929.

4)"Moon River" de "Bonequinha de Luxo", cantada por Audrey Hepburn



"Moon River" foi especialmente feita para o filme Bonequinha de Luxo. Uma versão instrumental da música é ouvida logo nos créditos de abertura do filme, mas a versão cantada por Audrey Hepburn só aparece pela primeira vez quando Paul descobre Holy cantando com seu violão na escada de incêndio. A música levou a estatueta do Oscar para casa.

5)"White Christmas" de "Duas Semanas de Prazer", cantada por Bing Crosby




A música natalina foi feita originalmente para o filme e "White Christmas" de Bing Crosby vendeu mais de 50 milhões de cópias e é, segundo o Guinness World Records o single mais vendido da história. Duas Semanas de Prazer foi lançado em 1942 e sua principal música se tornou mais conhecida que o próprio filme, já tendo sido regravada por diversos artistas como Frank Sinatra, Elvis Presley, Doris Day e até Lady Gaga.

6)"Mrs. Robinson" de "A Primeira Noite de um Homem", cantada por Simon & Garfunkel



A música "Mrs. Robinson" se refere especificamente a personagem de mesmo nome (interpretada por Anne Bancroft) do filme para qual foi feita, A Primeira Noite de um Homem. O filme é, inclusive, presença constante em listas dos melhores filmes da história e é o 17° filme mais visto nos cinemas americanos.

7)"When You Wish upon a Star" de "Pinóquio", cantada por Cliff Edwards



Praticamente todos os Clássicos Disney tem uma música marcante. Inclusive, além de Pinóquio, músicas de Branca de Neve, A Bela e a Fera e O Rei Leão figuram no top 100 da AFI. Mas "When You Wish upon a Star" é a mais marcante e, no filme, é cantada pelo Grilo Falante, a "consciência" de Pinóquio. A música venceu o Oscar de Melhor Música de 1940.

8)"The Way We Were" de "Nosso Amor de Ontem", cantada por Barbra Streisand



Outro música vencedora do Oscar, "The Way We Are" é uma das quatro músicas cantada por Barbra Streisand a aparecer na lista. A música, além de marcar o filme de 1973 dirigido por Sidney Pollack, foi o primeiro single n°1 de Barbra na Billboard Hot 100.

9)"Stayin' Alive" de "Os Embalos de Sábado à Noite", cantado por The Bee Gees



"Stayin' Alive" é uma música extremamente conhecida e ficou totalmente associada a seu filme. É difícil ouvi-la sem lembrar de John Travolta dançando passos típicos de discoteca. Aliás, Os Embalos de Sábado à Noite, que foi lançado em 1977 (filme mais recente deste top 10), é marcante por toda sua trilha sonora.

10)"The Sound of Music" de "A Noviça Rebelde", cantada por Julie Andrews




Um dos filmes mais popularess da história, A Noviça Rebelde, de 1965, também tem uma das músicas mais populares do cinema. "The Sound of Music" O verso principal da música "the hills are alive with the sound of music" (as colinas estão vivas com o som da música) é, inclusive, referenciado inúmeras vezes na cultura pop.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Skyfall já tem mais de US$500 milhões e acumula mais recordes

Na América do Norte: Na última sexta-feira 007 Operação: Skyfall finalmente estreou por lá. E fez incríveis US$90 milhões contando as sessões de pré-estreia na quinta-feira. Este é o quarto maior fim de semana de estreia do ano, atrás somente de Os Vingadores, Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge e Jogos Vorazes, e o maior de um filme de James Bond (o recorde anterior era de US$67 milhões de Quantum of Solace). Até essa terça-feira o filme já havia feito US$109 milhões e é difícil imaginar o filme fazendo menos que US$230 milhões. Isto dará a Skyfall o recorde de maior bilheteria (não ajustada pela inflação) da franquia 007 (o recorde atual também é de Quantum of Solace com US$168 milhões). Em segundo lugar Detona Ralph teve uma queda leve de 33% e fez mais US$33 milhões. Seu total até terça-feira é de US$101 milhões e as chances do filme ser o 4° filme animado do ano a passar os US$200 milhões (os outros três foram O Lorax, Valente e Madagascar 3) ainda existem. Em terceiro o drama protagonizado por Denzel Washington, Flight, fez mais US$14 milhões e tendo acumulado US$50 milhões até terça, as chances do filme atingir a marca dos US$100 milhões diminuiram um pouco. Em quarto Argo fez mais US$6 milhões e até ontem o grande futuro candidato ao Oscar já tinha US$87 milhões. E por último, em 15° lugar, o drama Lincoln sobre uma parte da vida do presidente dos E.U.A, dirigido por Steven Spielberg fez US$944 mil mesmo tendo estreado em apenas 11 cinemas (uma média de mais de US$85 mil). Esta sexta o filme expande para mais de 1.500 cinemas e é a aposta da Disney para a indicação de melhor filme este fim de ano (em 2011, foi Cavalo de Guerra, também de Steven).

Judi Dench. James Bond: Skyfall: will Bond franchise finally get an acting Oscar?
No Resto do Mundo: Skyfall dominou mais uma vez e fez mais US$90 milhões. Seu total mundial já é de US$538 milhões e seu final deve ser de pelo menos US$800 milhões. Um total de mais de US$1 bilhão é possível. Em segundo Argo fez US$12 milhões e já tem US$27 milhões. E em terceiro Detona Ralph fez US$11 milhões para um total de US$26 milhões. É muito difícil ainda de afirmar quanto o filme fará, mas pelo menos US$450 milhões é possível.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Detona Ralph detona em sua estreia; Bond faz mais US$156 milhões

Na América do Norte: O 52° Clássico Disney estreou nesta sexta-feira. E foi o maior final de semana de estreia para um clássico Disney com US$49 milhões em três dias. O recorde anterior era de Enrolados (o 50° Clássico, de 2010) com US$48 milhões, apesar de a competição não ser muito justa já que ele havia estreado numa quarta-feira. Detona Ralph, filme que homenageia os mais famosos videogames, conseguiu atrair não só crianças mas adultos também, devido a seu tema e vem recebendo ótimas críticas. Ralph deve ter uma bilheteria final de quase US$200 milhões (mesmo total de Enrolados), devido a falta de competição direta até a estreia de A Origem dos Guaridões da DreamWorks, dia 21. Em segundo lugar, o forte candidato a prêmios, Flight estreou com ótimos US$25 milhões. O drama dirigido por Robert Zemeckis (que há doze anos não dirigia um filme me live-action) e protagonizado por Denzel Washington deverá se seguraar bem nas bilheterias e uma bilheteria final maior que US$100 milhões já é certeza. E em terceiro Argo fez mais US$10 milhões e, com US$76 milhões em seu cofre, o filme de Ben Affleck ainda tem chances de passar os US$100 milhões. E em quarto a estreia The Man with the Iron Fists ("O homem com os punhos de aço"), filme de Kung Fu fez US$8 milhões em sua estreia e deverá sucumbir rápido com a estreia de Skyfall nesta sexta.

No Resto do Mundo: Em 1° lugar ficou 007 Operação Skyfall fez mais US$156 (incríveis) milhões. O filme já tem US$290 milhões nas bilheterias e deverá fazer mais de US$500 milhões. Mundialmente pode chegar a US$750 milhões. Em segundo Atividade Paranormal 4 fez mais US$14 milhões para um total mundial de US$118 milhões e ainda pode chegar aos US$155 milhões. Em terceiro, Hotel Transilvânia fez mais US$13,7 milhões para um total fora dos E.U.A de US$115 milhões. E em quarto a estreia Detona Ralph fez US$12 milhões em apenas seis mercados.

Crítica: Frankenweenie




Simplesmente um dos melhores filmes do ano. É isto que é Frankenweenie, a animação em stop-motion, mais recente trabalho de Tim Burton. Vamos aos motivos desta minha afirmação.

O filme conta a história de Victor Frankestein, um jovem garoto cientista que ressuscita seu cachorro Sparky, que morrera atropelado por um carro. A história é muito boa. Os diálogos, as cenas, tudo tem um propósito para a evolução da história. A animação não só presta homenagem ao filme Frankenstein de 1931, mas sim a todos os filmes de terror daquela época. E Frankenweenie, apesar de ser um filme animado, não deixa de ser um filme de terror. Uma comédia de terror aliás, com uma dose de drama. A morte de Sparky por exemplo, mesmo você sabendo que ela não é definitiva, ainda é uma cena triste de se assistir. Quando a animação, mais elogios: os designs dos bonecos dos personagens são excelentes assim como o da cidade de New Holland. O 3D só realça os visuais (e, por consequência, a atmosfera) do filme, e por isso é muito recomendável. A trilha sonora, presença marcante em todos os filmes de terror, é excelente, inspirada diretamente pelos antigos filmes de terror.
Além de tudo, temos o ótimo clímax. Ao contrário de muitos filmes de terror de hoje, não é um fantasma ou um demônio o vilão do filme. Mas sim diversos monstros. Quer dizer, vilã mesmo é a ignorância das pessoas de New Holland, que simplesmente condenam a ciência e acham esquisito qualquer coisa que venha dela. Afinal, a ciência responde perguntas (ou cria respostas) que não queremos ouvir. E essa lição esta bem presente seja no livro ou no filme Frankenstein ou na animação Frankenweenie. E por último vale um elogio ao trabalho de vozes de todos os atores que acaba por só enriquecer o filme.
Frankenweenie não é só o melhor filme de animação do ano até agora e um dos melhores filmes de Tim Burton, mas também um dos melhores filmes de 2012. Totalmente recomendável!

   ]

domingo, 4 de novembro de 2012

Análise: Disney e seu Crescente Império Cinematográfico


Desde o início da Pixar Animation Studios a Disney já tinha direito sobre seus filmes até oficialmente compra-lá em 2006 por mais de US$7 bilhões. Em 2009, Disney comprou a Marvel por US$4 bilhões, o que deu a ela o direito, a partir deste ano, sobre os filmes do Universo Cinematográfico Marvel. E agora, semana passada, a The Walt Disney Company adquiriu a Lucasfilm por US$4 bilhões.
Essas três compras significaram trilhões de dólares de lucro para a Disney em diversas áreas. Entretanto analisarei aqui somente os lucros da parte cinematográfica que estas transações geraram. Por exemplo, mais de 74% dos lucros da Disney nos cinemas norte americanos este ano vieram de filmes da Pixar e da Marvel. Em 2012, na América do Norte, foram Os Vingadores (US$623 milhões) da Marvel; e Valente (US$236 milhões) e o relançamento em 3D de Procurando Nemo (US$40 milhões), ambos da Pixar. E para esse ano ainda teremos Monstros S.A em 3D que deve fazer mais de US$50 milhões por lá, já que será o único filme essencialmente infantil nos meses de Dezembro e Janeiro. Para ano que vem, além de Monstros S.A, teremos Universidade Monstros (da Pixar) e Homem de Ferro 3(que, acredite ou não, tem chance de ultrapassar o bilhão mundialmente) e Thor 2 (ambos da Marvel). Para 2014, serão O Bom Dinossauro (da Pixar) e Capitão América 2 e Guardiões da Galáxia (ambos da Marvel). E, por último, 2015 promete ser o melhor ano da Disney na história com dois filmes da Pixar sem título (nota: esta será, caso de fato ocorra, a 1ª vez na história que a Pixar lança dois filmes no mesmo ano. Provavelmente uma resposta da Disney a DreamWorks que vem agendando um total de 3 filmes por ano. Assim a batalha ficaria por igual, com 1 Clássico Disney e 2 Disney Pixar); Os Vingadores 2 e Homem-Formiga (ambos da Marvel); e Star Wars Episódio VII (da Lucasfilm).
E os Episódios VIII e IX de Star Wars deverão ser lançados em 2018 e 2021, respectivamente. Além disso uma outra trilogia (os episódios X, XI e XII) , que deverá ser, definitivamente, a última, também deve ser lançada. Tudo graças a Lucasfilm.
Já sobre a Marvel, Homem de Ferro, Thor e Capitão América deverão ter outras continuações. Os Vingadores também. Guardiões da Galáxia e Homem-Formiga idem, caso façam sucesso. Uma futura continuação para O Incrível Hulk também deve ocorrer depois de Os Vingadores 2. Além disso, está sendo estudada a possibilidade de filmes de baixo orçamento (US$20 a US$40 milhões) de heróis menos conhecidos como Dr. Estranho e Cristal, entre outros. Fora isso, um Clássico Disney adaptando o esquadrão de super-heróis da Marvel, Big Hero 6, está em estudo.
E por último, da Pixar, teremos os dois filmes sem título de 2015, sendo que um deles "levará você para dentro da mente de uma garotinha". Para 2016, o maior lançamento da Pixar desde Toy Story 3, Procurando Nemo 2. E ainda em pré-produção uma animação sobre O Dia dos Mortos. E futuros projetos ainda incluem um quarto Toy Story e uma continuação para Os Incríveis.
Essa é a Disney, e seu crescente Império Cinematográfico.

Crítica: Halloween H20 - Vinte Anos Depois



A franquia de terror Halloween, conta, atualmente com 10 filmes, sendo o primeiro Halloween - A Noite do Terror de 1978, filme ultraclássico de terror dirigido por John Carpenter e aclamado pela crítica, e o último, Halloween II (2009), continuação do remake do filme original. Entretanto, a maioria dos fãs da franquia aceitam Halloween somente como uma trilogia composta do original Halloween, de Halloween II - O Pesadelo Continua (1981) e de Halloween H20 - Vinte Anos Depois (1998).
Para quem não sabe, Halloween conta a história do psicopata Michael Myers que tem como grande objetivo matar sua irmã Laurie Strode (Jamie Lee Curtis). Os dois primeiros filmes se passam no dia 31 de Outubro de 1978, enquanto H20 (que ignora tudo que ocorreu em Halloween 4,5 e 6 - Halloween III não continua a história dos outros filmes) ocorre exatos vinte anos depois. Laurie se tornou diretora de uma escola afastada da cidade grande e ainda é traumatizada com a possibilidade de seu irmão voltar para matá-la. Por isso, mudou de nome e super-protege o filho de 17 anos, John (Josh Hartnett). Entretanto Michael voltou e agora fará de tudo para terminar o massacre que começou há 20 anos. E Laurie, John e as outras 5 pessoas que estão na escola neste Halloween estão nas mãos deste terrível assassino.
H20 é um bom slasher movie. Não há nada de extraordinário nesse filme, mas ele ainda sim consegue ser acima da média para o gênero. Não há tanto sangue e o que realmente faz com que o filme valha a pena são os sustos e a tensão, principalmente no início quando ficamos esperando Michael aparecer e começar a matar. A melhor parte do filme mesmo é o clímax, quando Laurie resolve acertar as contas sozinha com Michael na escola abandonada. As atuações são bem decentes, principalmente a de Jamie Lee Curtis que retornou ao papel de Laurie depois de 17 anos. Destaque merece, também, a muito boa trilha sonora (que, além da parte original para este filme, também pega emprestado de Pânico, Pânico 2 e Mutação). Halloween H20 não chega aos pés do original, mas é bem superior do que todos os outros 8 filmes.
O filme acaba colocando um baita ponto final na franquia, que podia (e deveria) ter acabado definitivamente aí. Entretanto ela continuou com Halloween - Ressurreição que mostra a ressurreição de Michael e a morte de Laurie, e que, por esses motivos, é também desconsiderado da franquia. Enfim, H20 deve ser visto, principalmente, porque conclui a história de Laurie Strode e Michael Myers (e de uma boa maneira, diga-se).