quarta-feira, 27 de fevereiro de 2013

Análise: Contos de Fada: Um Gênero Difícil

Filmes em live-action que são adaptações de contos de fada ficaram em alta após o mega sucesso de Alice no País das Maravilhas em 2010, quando fez mais de US$1 bilhão nas bilheterias. Os estúdios logo correram atrás de contos para serem adaptados.
Com isso tivemos já em Março de 2011, duas adaptações. A primeira foi A Fera, adaptação de A Bela e A Fera, e A Garota da Capa Vermelha que adapta Chapeuzinho Vermelho. Mas não foram boas notícias que esses filmes receberam: ambos receberam péssimas críticas e fizeram bilheterias de, respectivamente, US$43 e US$89 milhões, quantias ruins.
Já 2012 foi o ano da Branca de Neve. Dois filmes sobre o conto clássico foram lançados. Primeiro tivemos, em Março, Espelho, Espelho Meu que fez uma quantia mais ou menos, de US$162 milhões (para um orçamento de US$85 mi). E o primeiro sucesso desde Alice: Branca de Neve e O Caçador com uma bilheteria de ótimos US$397 milhões. Ambos os filmes de 2012 receberam boas críticas.
Para 2013, três filmes do gênero foram/serão lançados. O lançamento de João e Maria: Caçadores de Bruxas (baseado no conto de João & Maria) ocorreu em Janeiro e o filme fez ótimos US$225 milhões para um orçamento de US$50 mi, apesar das péssimas críticas. Nessa sexta, dia 1° de Março, estreará Jack: O Caçador de Gigantes, baseado nas histórias de João e O Pé-de-Feijão e Jõao, o Matador de Gigantes (contos que, na verdade, não são sobre o mesmo personagem). Jack vem recebendo boas críticas. Entretanto, o filme tem um orçamento monstruoso de US$195 milhões, o que faz com que seja necessário que Jack tenha uma bilheteria de pelo menos US$400 mi para que seja considerado um sucesso. E é pouco provável que o filme consiga alcançar tais valores. Ainda mas que ele baterá de frente com outra adaptação, esta que tenta alcançar os valores obtidos por Alice: Oz - Mágico e Poderoso (que é um prelúdio de O Mágico de Oz). O filme estreia dia 8 (uma semana após Jack, portanto) e deve fazer um total de pelo menos US$650 milhões mundiais, uma ótima quantia.
Já em 2014, só um lançamento por enquanto: Malévola (que conta a história da vilã de Bela Adormecida), que está em produção a bastante tempo e tentará ser a Alice (ou pelo menos o Oz) do ano que vem. Com isso parece que a forma mais fácil de se fazer um sucesso baseado em Contos de Fadas é ser lançado pela Disney como Alice, Oz e Malévola ou então ter um orçamento mais baixo do que a média de US$130 milhões considerando os lançamentos listados acima.

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Os Vencedores do Oscar 2013


Um ótimo Oscar. É o que foi o Oscar 2013. Tivemos um trabalho muito bom do apresentador Seth MacFarlane e quase todas as vitórias foram merecidas. A cerimônia conseguiu entreter, com surpresas e vitórias obvias, números musicais e dançantes, e as piadas costumeiras (como a hilária música de MacFarlane, "We Saw Your Boobs").
Para minha alegria em especial, Jennifer Lawrence ganhou melhor atriz e Ang Lee levou melhor diretor. As vitórias óbvias (e merecidissimas) de Anne Hathaway como melhor atriz coadjuvante e Daniel Day-Lewis como Melhor Ator se tornaram realidade. E Argo ganhando (merecidamente, creio eu, mas ainda não vi o filme) jogou na cara da academia que foi um pecado não ter indicado Ben Affleck a melhor diretor. A maior injustiça foi na categoria Melhor Filme de Animação, em que o pior indicado (Valente) ganhou a estatueta. Me pergunto se os votantes assistiram a todos os indicados nessa categoria ou simplesmente votaram no que possui a marca (Pixar) mais cultuada ultimamente. No geral os prêmios foram bem distribuídos. Das quatro categorias principais (Filme, Diretor, Ator e Atriz) cada estatueta foi para um filme diferente. Os grandes vencedores foram As Aventuras de Pi com 4 vitórias seguido de Argo e Os Miseráveis com 3 cada. Veja abaixo os vencedores das principais categorias:

-Melhor Filme: "Argo"
-Melhor Diretor: Ang Lee por "As Aventuras de Pi"
-Melhor Atriz: Jennifer Lawrence por "O Lado Bom da Vida"
-Melhor Ator: Daniel Day-Lewis por "Lincoln"
-Melhor Atriz Coadjuvante: Anne Hathaway por "Os Miseráveis"
-Melhor Ator Coadjuvante: Christoph Waltz por "Django Livre"
-Melhor Roteiro Original: "Django Livre" de Quentin Tarantino
-Melhor Roteiro Adaptado: "Argo" de Chris Terrio baseado O Mestre do Disfarce por Antonio J. Mendez e A Grande Fuga por Joshua Bearman
-Melhor Filme de Animação: "Valente"
-Melhor Filme Estrangeiro: "Amor"
-Melhor Música: Skyfall do filme "007 - Operação Skyfall"
-Melhor Trilha Sonora: "As Aventuras de Pi"
-Melhores Efeitos Visuais: "As Aventuras de Pi"
-Melhor Fotografia: "As Aventuras de Pi"
-Melhor Maquiagem: "Os Miseráveis"
-Melhor Direção de Arte: "Lincoln"
-Melhor Figurino: "Anna Karenina"
-Melhor Curta de Animação: "O Avião de Papel"

domingo, 24 de fevereiro de 2013

Para quem eu torço no Oscar 2013




O Oscar é hoje de noite. Então, resolvi fazer esta postagem sobre quem eu quero que vença as principais categorias do Oscar. Ainda que muitos dos meus favoritos provavelmente não vençam, fica a torcida.

-Melhor Filme: Ainda que a estatueta deve ir ou para Argo ou para Lincoln, minha torcida é de O Lado Bom da Vida e As Aventuras de Pi. Os dois foram filmes magníficos, mas infelizmente não devem levar a estatueta. Ano passado, meu favorito Hugo também não levou.
Minha Torcida: O Lado Bom da Vida e As Aventuras de Pi.

-Melhor Diretor: Sem Ben Affleck é quase certo que a vitória será de Spielberg. Minha torcida se divide entre David O. Russel e Ang Lee. Mas não será ruim se Spielberg levar a estatueta.
Minha Torcida: David O. Russel e Ang Lee.

-Melhor Ator: Daniel Day-Lewis deve levar a estatueta com certeza. E torço pra ele, mas não só. Após assistir O Voo esta semana, vi que a atuação de Denzel Washington foi realmente brilhante. E ainda tem Bradley Cooper que, com certeza, surpreendeu a todos. Ou seja, torcida tripla. Mas vale dizer que Hugh Jackman também está excelente em Os Miseráveis.
Minha Torcida: Daniel Day-Lewis, Denzel Washington e Brradley Cooper.

-Melhor Atriz: Ninguém sabe ao certo quem levar a estatueta para casa. A disputa está entre Jennifer Lawrence, Emmanuelle Riva e Jessica Chastain. Mas minha torcida é unicamente de Jennifer.
Minha Torcida: Jennifer Lawrence.

-Melhor Ator Coadjuvante: De Niro, o melhor.
Minha Torcida: Robert De Niro.

-Melhor Atriz Coadjuvante: Se Anne Hathaway não vencer esta categoria, o Oscar cometerá uma de suas maiores injustiças. Anne tem a típica cena que faz levar o Oscar com certeza (a de "I Dreamed a Dream").
Minha Torcida: Anne Hathaway.

-Melhor Roteiro Original e Adaptado: Torcida dupla e tripla.
Minha Torcida: Original - Django Livre e A Hora Mais Escura. Adaptado - Argo, O Lado Bom da Vida e As Aventuras de Pi.

-Melhor Filme de Animação: Frankenweenie é meu favorito, seguido de Detona Ralph. Depois vem Paranorman, Piratas Pirados! e Valente (o pior de todos e que, em comparação com os recentes A Princesa e O Sapo e Enrolados, mostra que filmes de princesa devem ser deixados por conta da Disney Animation e não da Dinsey-Pixar).
Minha Tocida: 1°)Frankenweenie (o melhor filme de animação de 2012)2°)Detona Ralph.

-Melhor Música e Melhor Trilha Sonora: Skyfall e Pi são minhas torcidas.
Minha Torcida: Música-"Skyfall" interpretada por Adele em 007 - Operação Skyfall. Trilha-Skyfall e As Aventuras de Pi.

-Melhores Efeitos Visuais e Melhor Fotografia: Pi é um filme extremamente visual. As cores, as cenas, os efeitos especiais, transbordam para a tela num 3D espetacular (e que merece ser visto no cinema, para quem ainda não viu). Por isso, ele merece ganhar.
Minha Torcida: Para ambas categorias-As Aventuas de Pi.

-Melhor Maquiagem: Torço para O Hobbit, mas devo admitir que este quesito também está ótimo em Hitchcock e Os Miseráveis.
Minha Torcida: O Hobbit: Uma Jornada Inesperada.

-Melhor Direção de Arte e Melhor Figurino
Minha Torcida: Arte- Os Miseráveis e As Aventuras de Pi. Figurino-Anna Karenina e Os Miseráveis.

- Melhor Filme Estrangeiro: Esse certamente vai para Amor que, além de estar indicado ao Oscar de Melhor Filme tem atuações fantásticas, especialmente de Emmanuelle Riva.
Minha Torcida: Amor.

- Melhor Curta de Animação: Com certeza o belo O Avião de Papel.
Minha Torcida: O Avião de Papel.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Duro de Matar 5 tem estreia mediana na América do Norte; já no resto do mundo...

Na América do Norte: Como tivemos um feriado por lá dia 14 devido ao Dia de São Valentim (o Dia dos Namorados deles) e outro dia 18 (Dia do Presidente) 4 filmes estrearam. Três na quinta (Duro de Matar 5, Um Porto Seguro e Dezesseis Luas) e um na Sexta (Escape from Planet Earth). Em primeiro lugar ficou Duro de Matar: Um Bom dia para Morrer, o que já era esperado. No final de semana de quatro dias  (sex-sáb-dom-seg) o filme fez US$28 milhões (seu total já está em US$36 milhões), bem menos dos US$35 mi que eram esperados. Ainda que seja uma boa quantia, vale notar que este é o quarto filme de ação a fazer menos que o esperado por lá. Arnold Schwazeneger, Silvester Stallone e Jason Staham protagonizaram bombas de ação no início do ano. Em segundo,Uma Ladra sem Limites fez mais US$27 milhões para um total de US$74 mi. Em terceiro e quarto, Um Porto Seguro (um romance) e Escape From Planet Earth ("Fuga do Planeta Terra", um filme de animação) tiverem ótimas estreias. Ambos tiveram críticas ruins, mas conseguiram fazer US$24 e US$21 milhões, respectivamente, bem melhor do que o esperado. Em quinto Meu Namorado é um Zumbi teve uma queda bem leve e fez mais US$10 milhões para um total de US$51 mi. E em sexto lugar, Dezesseis Luas (filme do gênero "meu namorado(a) é um(a) vampiro, bruxa, lobisomem, zumbi, etc...) decepcionou com apenas US$8 mi. E vale dizer que O Lado Bom da Vida ultrapassou a marca dos US$100 mi, enquanto O Hobbit ultrapassou os US$300 mi.

No Resto do Mundo: Duro de Matar 5 dominou com ótimos US$60 milhões. O filme deve fazer os US$250 milhões (sem a América do Norte) que o filme anterior fez até o fim de sua corrida. Em 2° Django Livre fez mais US$14 milhões (total mundial de US$365 mi). Detona Ralph fez mais US$11 milhões para um total mundial de mais de US$400 milhões. Os Miseráveis fez mais de US$10 milhões e seu total mundial já está em excelentes US$380 mi. E Skyfall ultrapassou os US$800 milhões fora da América do Norte, apenas o sexto filme a conseguir isto e o 2° só em 2D (o outro foi Titanic).

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2013

As Maiores Bilheterias de 2012


































-As 10 Maiores Bilheterias no Brasil: Este ano, a maior bilheteria por aqui foi Os Vingadores. O filme da Marvel e Disney fez uma bilheteria de mais de US$60 milhões, e, no geral, o top 10 mostrou que o Brasil é um mercado crescente. A soma das bilheterias dos dez filmes foi significativamente maior que ano passado. Vale destacar o desempenho obtido por Amanhecer Parte 2 - O Final: o Brasil foi um dos maiores mercados do último capítulo da Saga Crepúsculo. Lembrando que Alvin e os Esquilos 3 se encontra na lista pois, apesar de ser um filme de 2011, foi lançado no Brasil somente em jan./2012.

1-Os Vingadores (US$63,940,000)
2-Amanhecer Parte 2 - O Final (US$52,565,000)
3-A Era do Gelo 4 (US$44,502,000)
4-O Espetacular Homem-Aranha (US$30,368,000)
5-Madagascar 3 - Os Procurados (US$28,562,000)
6-Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge (US$27,097,000)
7-De Pernas pro Ar 2 (US$22,617,000)
8-Alvin e os Esquilos 3 (US$21,891,000)
9-O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (US$17,553,000)
10-Valente (US$17,471,000)



-As 10 Maiores Bilheterias na América do Norte: No maior mercado cinematográfico do planeta, o campeão também foi Os Vingadores. O filme foi apenas o 3° na história a quebrar a barreira dos US$600 milhões por lá, depois de Titanic e Avatar. Jogos Vorazes e Skyfall foram as grandes surpresas, o primeiro fazendo uma bilheteria maior do que a de qualquer filme de Harry Potter ou Crepúsculo e o segundo, maior do que qualquer outro filme de James Bond. Ted também fez uma quantia bem maior que o esperado. E vale dizer que Batman e Amanhecer Parte 2 encerraram bem suas franquias.

1-Os Vingadores (US$623,358,000)
2-Batman- O Cavaleiro das Trevas Ressurge (US$448,140,000)
3-Jogos Vorazes (US$408,010,000)
4-007 - Operação Skyfall (US$303,460,000)
5-O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (US$300,160,000)
6-Amanhecer Parte 2 - O Final (US$291,844,000)
7-O Espetacular Homem-Aranha (US$262,031,000)
8-Valente (US$237,283,000)
9-Ted (US$218,816,000)
10- Madagascar 3 - Os Procurados (US$216,391,000)



-As 10 Maiores Bilheterias Fora da América do Norte: No resto do mundo, quem dominou (novamente) foi Os Vingadores, com quase US$890 milhões. Merece destaque, principalmente, o segundo lugar. Ninguém esperava que Skyfall fosse um blockbuster tão grande assim. No top 10, a única não-sequência é As Aventuras de Pi, que fez bilheterias bem maiores que o esperado.

1-Os Vingadores (US$888,400,000)
2-007 - Operação Skyfall (US$797,326,000)
3-A Era do Gelo 4 (US$714,026,000)
4-O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (US$659,600,000)
5-Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge (US$632,900,000)
6-Amanhecer Parte 2 - O Final (US$536,900,000)
7-Madagascar 3 - Os Procurados (US$525,719,000)
8-O Espetacular Homem-Aranha (US$490,185,000)
9-As Aventuras de Pi (US$465,112,000)
10-Homens de Preto 3 (US$445,005,000)



-As 10 Maiores Bilheterias no Mundo: Estas sim, são as 10 maiores bilheterias de 2012. A lista tem, novamente, Os Vingadores no topo, que se tornou o 3° filme na história a ultrapassar a marca de um bilhão e meio de dólares, somente após Titanic e Avatar. Em um surpreendente segundo lugar ficou Skyfall, seguido de Batman, Hobbit e A Era do Gelo. Três filmes de 2012 conseguiram ultrapassar o bilhão, sendo que Uma Jornada Inesperada também pode vir a fazê-lo. Apenas um dos dez filmes não é sequência: Jogos Vorazes. Aliás, parece que o público teve uma qualidade maior de blockbusters em 2012 do que em 2011. Do top 10 do ano passado, 6 filmes eram considerados ruins pela crítica. Este ano, foram só dois (Era do Gelo e Amanhecer- este último aliás mais regular do que ruim, na verdade).

1-Os Vingadores (US$1,511,800,000)
2-007 - Operação Skyfall (US$1,100,800)
3-Batman - O Cavaleiro das Trevas Ressurge (US$1,081,000)
4-O Hobbit: Uma Jornada Inesperada (US$959,800,000)
5-A Era do Gelo 4 (US$875,300,000)
6-Amanhecer  Parte 2 - O Final (US$828,700,000)
7-O Espetacular Homem-Aranha (US$752,200,000)
8-Madagascar 3 - Os Procurados (US$742,100,000)
9-Jogos Vorazes (US$686,500,000)
10-Homens de Preto 3 (US$624,000,000)

*As listas ainda devem sofrer atualizações já que Skyfall, Amanhecer Parte 2 e De Pernas pro Ar 2 ainda estão em cartaz. E O Hobbit, além de estar em cartaz ainda em diversos mercados, tem uma (importante) estreia na China para o dia 22.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Crítica: Flashdance


Flashdance (1983) foi um dos grandes sucessos dos anos 80. Ajustado pela inflação, ele teria feito uma bilheteria de mais de US$237 milhões só na América do Norte. O filme, tecnicamente, não é um musical já que os personagens não são os interpretes das músicas. Entretanto, assim como Embalos de Sábado a Noite e Footloose, as músicas (geralmente acompanhadas por cenas de dança)  são parte importante e constante do filme.
Flashdance conta a história de Alexandra Owens (Jennifer Beals) que trabalha como soldadora numa mina de metal de dia e como dançarina num bar de noite. Entretanto o que ela realmente quer é entrar na academia de dança. No meio da história, claro, Alex e seu chefe na mina, Nick Hurley (Michael Nouri), se apaixonam.
Flashdance tem como principal problema o roteiro. Há uma grande falta de acontecimentos marcantes no filme, e é de se pensar que, de repente, o filme poderia ter uma meia hora reduzida. Outro problema são as cenas musicais. Enquanto a trilha sonora é maravilhosa e conta com músicas como "Flashdance... What a Feeling" (interpretada brilhantemente por Irene Cara, que, inclusive, ganhou o Oscar), "Maniac" (que também foi indicada ao Oscar), "Lady,Lady,Lady" e  "Manhunt", entre muitas outras, algumas cenas musicais parecem mais videoclipes que não influenciam em nada para a trama. Ás vezes, há apenas uma determinada personagem (que nem volta a aparecer no filme e mal tem uma fala) dançando ao som de uma música inteira. Obviamente, algumas cenas melhores- e mais criativas- poderiam ter sido criadas para algumas músicas.
Jennifer Beals está muito boa como a protagonista Alex e entrega uma personagem bastante carismática. Os atores coadjuvantes também estão bem decentes.
Apesar de um roteiro escasso de situações importantes, Flashdance consegue divertir e emocionar com a história de sua protagonista. E, aliado a excelente trilha sonora (que vendeu milhões de cópias pelo mundo), o filme acaba sendo bom, ainda que esteja longe de títulos similares como Footloose.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

Uma Ladra sem Limites tem a melhor estreia de 2013 na América do Norte; no resto do mundo Django (de novo) em primeiro

Na América do Norte: Uma Ladra sem Limites, comédia estrelada por Melissa McCarthy e Jason Bateman, fez sua estreia que foi a melhor de 2013 até agora (título que antes pertencia aos US$28 milhões do terro Mama) com US$34,5 mi. Isto é maior que a estreia da comédia do mesmo diretor, Quero Matar Meu Chefe (US$28 mi) e do que o último filme de Melissa,  Missão Madrinha de Casamento (US$26 mi), entretanto, com a recepção ruim, o filme não fará os US$117 milhões finais de Chefe, muito menos os US$169 mi de Madrinha. Em segundo, o campeão da semana passada, Meu Namorado é um Zumbi, com mais US$11 mi. Seu total por lá é, até agora, um decente US$36 milhões. Em terceiro, a outra estreia Efeitos Colaterais, o mais novo filme do diretor Steven Soderbergh fez US$9 mi, uma estreia ruim, mas esperada. Em quarto lugar, O Lado Bom da Vida teve mais uma queda bem pequena (de 17%) para um total de quase US$90 milhões. Até a cerimônia do Oscar, dia 24, o filme (indicado em 8 categorias) terá feito mais que US$100 mi, um ótimo total. E em 16° lugar, O Hobbit fez mais US$1,5 mi para um total de US$298,3 milhões. Com isso, é certeza que o filme ultrapassará os US$300 milhões, uma marca importante para o filme. E quando isso acontecer, ele será o quinto filme a ter ultrapassado tal marca esse ano na América do Norte (um número impressionante).

No Resto do Mundo: Foi um fim de semana quieto nas bilheterias e quem dominou pela quarta semana seguida foi Django Livre. O faroeste fez mais US$19,5 milhões para um total de mundial de US$342 milhões, a melhor quantia arrecadada por um filme de Quentin Tarantino, na frente do antigo campeão Bastardos Inglórios (US$321 mi). Em segundo Detona Ralph fez mais US$12 milhões e passará os US$400 milhões mundiais em alguns dias, sendo o 6° Clássico Disney a conseguir tal feito (depois de Rei Leão, Enrolados, Aladin, Tarzan e A Bela e a Fera). Em terceiro João e Maria: Caçadores de Bruxas fez US$11 mi para um total mundial de US$128 mi, maior do que o título similar Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros fez até o final de sua corrida (US$116 mi). Em quarto Duro de Matar - Um Bom dia para Morrer fez sua estreia em uns poucos mercados da Ásia e arrecadou US$10 milhões. O filme faz sua estreia na América do Norte e também no Brasil nesta semana. E 007 - Operação Skyfall ultrapassou a marca de US$1,1 bilhão, apenas o terceiro filme em 2D a conseguir isto (depois de Titanic e Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei).

domingo, 10 de fevereiro de 2013

Crítica: O Lado Bom da Vida


O Lado Bom da Vida (Silver Linings Playbook,2012) conta a história de Pat Solitano que acaba de sair da clínica psiquiátrica onde ficou internado por meses, pois tem bipolaridade e quase matou o amante de sua ex-mulher, Nikki. Para reconquistá-la, ele decide ajudar Tifanny que também tem seus problemas, sendo seu par num concurso de dança, para que ela a ajude a se corresponder com a ex.
Mais que uma excelente comédia, O Lado Bom da Vida se faz nas situações. Por mais diferentes e esquisitas que possa ser, tudo é feito de uma maneira tão crível que, somado com os excelentes diálogos do (ótimo) roteiro e as atuações impecáveis do elenco, se tornam perfeitas. Falando em atuações, Bradley Cooper entrega uma atuação digníssima de nota por seu Pat, e ainda que a parada do Oscar de Melhor Ator esteja realmente complicada este ano, a indicação de Cooper foi mais que merecida. Robert De Niro, Jacki Weaver e Chris Tucker também estão ótimos em seus papéis coadjuvantes. E, o maior destaque do filme, na minha opinião, Jennifer Lawrence como Tifanny. A atriz mostra porque é a maior atriz de sua nova geração. Jennifer sabe apostar em ótimos blockbusters (Jogos Vorazes, X-Men: Primeira Classe) e ótimos filmes para prêmios (Inverno da Alma e, agora, este desta crítica). Sua atuação em O Lado Bom da Vida, que lhe garantiu sua segunda indicação, pode muito bem ser sua primeira vitória. Tem todos os motivos para isso.
No final, a comédia com toques de drama e romance também, se leva totalmente nos seus personagens, diálogos e situações, que fazem o espectador rir e torcer para um final feliz, que nem sempre pode ser encontrado na dura vida. Mas, como Pat, temos sempre que acreditar no positivismo. E, podem acreditar também, que não se arrependerão caso forem assistir a O Lado Bom da Vida (com a direção impecável de David O. Russell , que mereceu todas as suas 8 indicações no Oscar 2013 - o filme é, com certeza, um dos melhores de 2012.

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013

Meu Namorado é um Zumbi estreia em 1° na América do Norte; Django domina no resto do mundo

Na América do Norte: Pois é, a partir dessa semana voltam as postagens semanais sobre as bilheterias. E nesse final de semana o vencedor foi a estreia Meu Namorado é um Zumbi. O filme baseado no livro de sucesso fez US$20 milhões, o que menor que A Mulher de Preto (US$21 mi) e Poder sem Limites (US$22 mi) fizeram no mesmo final de semana ano passado. Esses filmes fecharam com bilheterias de US$54 e US$64 milhões, e Meu Namorado é um Zumbi deve ficar com algo entre essas quantias. Em segundo, o campeão da semana João e Maria: Caçadores de Bruxas fez mais US$9 milhões e seu total até o momento é de US$35 mi. Até sexta, o filme deverá ultrapassar os US$37,5 mi de Abraham Lincoln: Caçador de Vampiros. Em terceiro O Lado Bom da Vida teve outra queda levíssima (apenas 18%) e fez mais US$8 mi. Ele já tem US$80 mi e deve ultrapassar os US$100 até o fim de sua corrida. Em quarto Mama (que fez US$6,6 mi) já tem um total de US$58 milhões, a maior bilheteria de um filme exclusivamente de terror desde Atividade Paranormal 3 em 2011.

No Resto do Mundo: Django Livre ficou em 1° pelo terceiro final de semana seguido. O faroeste de Quentin Tarantino fez mais US$30 milhões para um total mundial de US$309 mi. Em segundo João e Maria fez outros US$16 milhões e irá passar os US$100 milhões mundiais nos próximos dias. Em terceiro, Lincoln  fez mais US$13 milhões. Juntando seu total da América do Norte (US$170 milhões) com o que ele já fez fora (US$32 mi), seu total mundial já ultrapassou os US$200 mi. E em quarto Os Miseráveis continou sua ótima corrida e fez mais US$11 mi para um total mundial de US$340 milhões. O filme já é a quarta maior bilheteria de um musical não animado, ou seja, em live-action, somente atrás de Mamma Mia! (US$609 mi), Grease (US$395 mi) e Encantada (US$340,5 mi).

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Crítica: O Corcunda de Notre Dame


O Corcunda de Notre Dame (The Hunchback of Notre Dame,1996) é, de longe, um dos filmes mais sombrios da Disney. Um dos filmes da ótima era conhecida como Renascença Disney (fase que durou de 1989 a 1999 e incluiu todos os clássicos lançados nesse período), é baseado no livro de mesmo nome de Victor Hugo. O 34° Clássico Disney se passa no século XV e conta a história de Quasimodo, um jovem de 20 anos que tem uma deformidade e vive preso na Catedral pois seu "mestre" Frollo não acha que uma aberração como ele deve frequentar as ruas. Mas no dia do Festival dos Tolos, Quasimodo sai para a rua e acaba conhecendo a cigana Esmeralda, por quem se apaixona. Porém, Frollo fará de tudo para exterminar os ciganos de Paris e principalmente, Esmeralda.
Um filme maravilhoso, um musical inesquecível. As músicas são muito bonitas e, como num bom musical, não cansam que o espectador. A animação da Disney é impecável, desde os personagens aos cenários de Paris, incluindo, claro a a Catedral Notre Dame. Os clássicos Disney sempre são marcantes por seus vilões, desde seu início com a Rainha Má de Branca de Neve, e aqui não é uma exceção. O Juiz Claude Frollo é um dos piores vilões do cinema. Mata a mãe de Quasimodo, é obrigado a cuidar do garoto mas o mantém trancado na Notre Dame e humilha o pobre corcunda. E Frollo é um dos prinicipais motivos para assistir o filme. A história é bem construída e termina com um ótimo clímax, com rios de lava descendo a catedral e inundando as ruas lá embaixo enquanto Frollo tenta matar de uma vez por todas Quasimodo e Esmeralda.
Entre todas as sequências musicais que incluem a bonita God Help the Outcasts por Esmeralda, o desabafo de Quasimodo "Out There" e a estonteante "The Bells of Notre Dame", a melhor é, com certeza, Hellfire, de Frollo. A música é cantada enquanto ele fala sobre o desejo sexual que tem sobre Esmeralda e pede ajuda a Maria e tem versos (fortes) como "Like Fire/Hellfire/This Fire in my Skin/Is burning/Desire/Is turning me to sin/It's not my fault".
Apesar do filme ser extremamente dramático, as gárgulas (que são vivas e não apenas alucinações do Corcunda) Victor, Hugo e Laverne garantem ótimos alívios cômicos. O filme não é tão infantil assim, e é bastante sombrio. Afinal ele lida com temas como Inferno, Pecado e injustiça social, tem visuais sombrios de Notre Dame, mostra Frollo confessando que sente atração sexual pelo corpo de Esmeralda (e por isso quer tanto matá-la, já que ela não quer nada com ele) e mostra o Juiz matando a mãe de Quasimodo, além de incendiar uma casa com os moradores trancados dentro dela. Mas isso só deixa a história ainda melhor.
O Corcunda de Notre Dame demonstra mais uma vez que a maioria dos Clássicos Disney são ótimos filme. Graças a temas sombrios, protagonistas carismáticos, um vilão extremamente marcante, uma boa história e ótimas musicas, é um musical mais que recomendável.

A Origem dos Guardiões ultrapassou os US$100 milhões na América do Norte

A Origem dos Guardiões, o 25° filme da DreamWorks Animation ultrapassou a marca dos US$100 milhõesna América do Norte semana passada. Este é o 12° filme seguido do estúdio a ultrapassar esta quantia por lá. De todos os 25 filmes apenas 6 não conseguiram os US$100 milhões. Mundialmente, o filme já tem quase US$300 mi. Isto esta abaixo da média para um filme da DreamWorks Animation (que é de US$417 mi), mas esta na média para um filme do estúdio que não é uma sequência (que é de US$300 mi). A corrida do filme nas bilheterias já esta acabando, e A Origem dos Guardiões pode não ter sido um mega sucesso mas fez uma boa bilheteria e, o principal, tem uma ótima qualidade. Leia a crítica do filme aqui.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Crítica: Os Miseráveis



Os Miseráveis (Les Misérables, 2012) é mais uma das muitas adaptações da clássica novela de Victor Hugo, de mesmo nome. E dessa vez temos uma adaptação algo que definitiva para as telas. Os Miseráveis, dirigido por Tom Hooper, é um musical grandioso que não tem vergonha de mostrar seu maior objetivo: emocionar as pessoas.
O narrativa do filme dura 17 anos e conta a história de Jean Valjean (Hugh Jackman), um ex-presidiário (cujo crime, aliás, foi roubar um pão para dar ao filho de sua irmã) que anos após ter fugido de sua liberdade condicional, se tornou o prefeito de sua cidade. Entretanto, Javert (Russel Crowe), o inspetor de polícia, descobre a verdadeira identidade de Jean e começa a persegui-lo. Enquanto isso, Jean promete cuidar de Cosette (Amanda Seyfreid, quando adulta e Isabelle Allen, criança), filha de Fantine (Anne Hathaway - futura ganhadora do Oscar) , uma ex-funcionária sua que está morrendo.
A participação de Hathaway no filme não é longa. Ela morre logo, mas ainda assim é um dos maiores destaques do filme. Claro, a personagem tem uma vida sofrida (o título Os Miseráveis, já sugere isso) e a atriz dá toda sua alma ao papel. É de apertar o coração ver Fantine vendendo seu cabelo, seus dentes e sua honra para mandar dinheiro a sua filha. E depois de seu 1° trabalho como prostituta, Anne dá sua interpretação da música "I Dreamed a Dream". Durante os quatro minutos da música, a camêra fica só no rosto de Hathaway, acompanhando sua expressão enquanto canta a música, como se vivesse cada palavra da canção. Além dessa cena lindissíma e que justifica completamente porque ela deve ganhar o Oscar de Melhor Atriz Coadjuvante, ainda temos a cena da morte da Fantine, com ela falando com a filha (na imaginação) antes de morrer.
Outro destaque de atuação está com Hugh Jackman. Jean Valjean é o protagonista do filme e a atuação de Hugh é excepcional. Dentre as cenas mais bonitas está a em que ele canta a música "Sudenly" com Cosette em seu colo e, bem, o seu final. Mas durante todo o filme o ator defende o seu personagem com maestria e não é difícil pensar no porque dele ter sido indicado ao Oscar.
O diretor Tom Hooper consegue, assim como em O Discurso do Rei, nos inserir na época e no contexto do filme. Os cenários, os figurinos, maquiagem e penteados nos transportam para a França com uma forte divisão de classes do século XIX. Outra escolha acertada do diretor é fazer os ators cantarem ao vivo ao invés do playback utilizado na maioria dos musicais. Isso permite com que os atores atuem as palavras que cantam (já que o filme é 99,9% cantado, isso é muito importante) e garante cenas belíssimas como a sequência de "I Dreamed a Dream" de Anne Hathaway e "On my Own" de Samantha Barks.
Quanto a Samantha, esse é seu primeiro trabalho como atriz, mas com certeza não será o último. A sua atuação é um dos maiores destaques do filme e as sequências de "On my Own" e "A Little Fall of Rain" são de emocionar qualquer um. Sua atuação até me levantou a dúvida se ela não poderia ter sido indicada como Melhor Atriz Coadjuvante no Oscar ou no Globo de Ouro. Acho que sim.
Éponine, a personagem de Samantha tem uma paixão não correspondida por seu melhor amigo Marius Pontmercy, que é muito bem interpretado por Eddie Redmayne. Após uma atuação boa, mas nada excepcional em Uma Semana com Marilyn, aqui o ator realmente se destaca.
Helena Bonham Carter e Sacha Baron Cohen interpretam os Thénardies, estalajandeiros nojentos e sem moral nenhuma. Apesar de personagens "ruins", eles garante os poucos momentos do filme em que é possível dar uma risada. O talento dos atores só é ressaltado, por exemplo, na ótima e divertida sequência de "Master of the House".
Todos os outros atores que não ganharam parágrafos aqui também estão bem: Russel Crowe, Amanda Seyfriend, Aaron Tveit e o elenco infantil.
Com uma enorme e grandiosa produção, atuações espetaculares e músicas lindas, Os Miseráveis é um musical excelente, e, principalmente, emocionante. Altamente recomendado (e assista no cinema - ver os close-ups do rosto dos atores na tela grande e ouvir as músicas com o som alto do cinema só intensificam a experiência).

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

O (muito provável) Fim da Curta Era dos Relançamentos em 3D



Somando todos os relançamentos em 3D que haviam sido agendados para serem lançados em 2013 em certo ponto, tinhamos um total de 6 filmes. Eram eles: Top Gun, Jurassic Park, Independence Day, A Pequena Sereia e Star Wars Episódios II e III.
Então, houve primeiramente o cancelamento de Top Gun, devido a morte do diretor Tony Scott. O filme terá apenas um breve relançamento em Imax 3D - e só. Depois Independence Day 3D foi tirado do calendário. A Fox achou que não seria tão lucrativo relançar o filme e preferiu focar mais numa sequência para o longa. Em seguida, a Disney, vendo o fracasso de Monstros S.A e Procurando Nemo em 3D, optou por cancelar o relançamento de A Pequena Sereia. E, esta semana, foi a vez de Star Wars II e III em 3D irem pro saco. A Lucasfilm diz ter tomado esta decisão pois quer focar totalmente no lançamento de Episódio VII (que será dirigido por J. J. Abrams e lançado em 2015).
Ou seja, o único lançamento que resistiu e ainda será lançado é Jurassic Park. E o futuro dos relançamentos em 3D depende justamente deste filme. Se Jurassic fizer sucesso nas bilheterias pode ser que os estúdios voltem a se interessar em relançamentos. Vale lembrar que o relançamento de O Rei Leão em Setembro de 2010 foi o que deu início a esta Era dos Relançamentos 3D. Agora, só nos resta aguardar para vermos se, depois de Leão, A Bela e a Fera, A Ameaça Fantasma, Titanic, Procurando Nemo e Monstros S.A. esta curta era chegará ao fim.