domingo, 10 de março de 2013

Crítica: Oz - Mágico e Poderoso


Oz - Mágico e Poderoso conta a história de Oscar Diggs (James Franco), um mágico charlatão que trabalha num parque no Kansas. Entretanto, após um o balão que Oz, como  Oscar é conhecido, é atingido por um tornado ele vai parar na Terra de Oz, um lugar mágico cheio de criaturas inacreditáveis. Chegando lá, muitos acham que Oz é o famoso Mágico da Profecia, que salvará a Terra da Bruxa Malvada e se tornará o novo rei. Mas ele terá que provar isso também as três bruxas: Glinda, Theodora e Evanora.
Oz acabou por ser um filme bem melhor do que eu esperava. Com uma ótima direção de Sam Raimi, O filme funciona não só como uma ótima fantasia mas também como uma homenagem ao filme de 1939 (já que este filme é o prelúdio de O Mágico de Oz). Estão lá o Kansas em Preto & Branco e Oz em cores extremamente vivas, os macacos voadores, Glinda, a Bruxa Boa e Teodora, a Bruxa Malvada do Oeste, e muitos outros elementos que nos relembram da mitologia criada pelo filme original. Oferecendo uma boa história, o filme ainda conta com uma boa atuação de Franco. Mas o destaque são as três Bruxas: Michelle Williams, Mila Kunis e Rachel Weisz estão  fascinantes como, respectivamente, a Bruxa Boa do Sul, a Bruxa Malvada do Oeste e a Bruxa Malvada do Leste. A última, aliás, é o verdadeiro destaque. Rachel é a grande vilã aqui: malvada, mentirosa, cruel e linda. E, o maior destaque, os efeitos especiais. Todos perfeitos e fazendo com que o filme encha os olhos. Ótimos figurinos e maquiagens dão o toque final. As cenas de ação também são excelentes e o 3D é recomendável.
Uma continuação já está nos planos da Disney. Ela poderá se passar, ou entre os vinte anos entre o que ocoreu em Mágico e Poderoso e O Mágico de Oz, ou depois do que aconteceu no filme de 1939, com as duas vilãs desde filme já mortas (Dorothy matou tanto a Bruxa Malvada do Oeste quanto a do Leste). Ainda que sofra em comparação ao original (já que, convenhamos, são poucos os filmes que conseguem ser de qualidade tão boa quanto o filme de 1939), Oz consegue divertir e entreter de uma ótima maneira. E, com esse resultado final, fica a torcida para que uma continuação de fato ocorra. Afinal os livros de Oz ainda tem muitos personagens e histórias fascinantes para serem levados a telona.

Nenhum comentário:

Postar um comentário