sábado, 21 de setembro de 2013

Crítica: Invocação do Mal


Invocação do Mal (The Conjuring, 2013) conta a história "baseada em fatos reais" de Ed (Patrick Wilson) e Lorraine Warren (Vera Farmiga), um casal de investigadores paranormais muito famosos nos anos 70, que, entre vários casos, investigaram um tão terrível que chegou a afetar sua própria família. Esse caso foi o da família Perron, composta por mãe (Lili Taylor), pai (Ron Livingston) e cinco filhas, que recém se mudaram para uma casa. Porém, fatos estranhos começam a acontecer e, depois de presenciarem algumas aparições, eles decidem procurar ajuda do casal Warren.

Invocação do Mal é um filme de terror excelente. O filme tem ótima direção de James Wan, e é tecnicamente muito bem feito. Os movimentos e as trocas de câmera são algo de especial que o filme tem. Elas ajudam a criar os sustos que o filme entrega tão bem, como, por exemplo, com situações longas em que o foco vai variando entre os vários personagens na casa, indo da sala, pro quarto, pra cozinha, pro porão... Afinal, é muita gente numa casa só: além do casal Warren e da família Perron temos ainda um policial e um ajudante dos paranormais, totalizando 11 (!) pessoas. Isso deixa o espectador alerta buscando saber de onde virá os sustos e eles vem de vários lugares e várias vezes (pelo filme todo e não só nessas situações, aliás).
Outra coisa que destaca o filme são as atuações (de Wilson, do elenco infantil de seis garotas-além das filhas dos Perron há a filha dos Warren), todas muito boas, mas com destaque especial a das mulheres Vera Farmiga e Lili Taylor. A personagem de Vera já passou por um grande susto num caso do passado e consegue ver coisas que os outros não conseguem; assim a atriz tem que passar para o público o que ela vê, mesmo antes de nós sabermos: é só reparar na cena em que Lorraine entra pela primeira vez na casa mal-assombrada e faz algumas caras feias que só mais adiante descobriremos o motivo. Já Lili é a perfeita vítima de filmes de terror: ao mesmo tempo que tenta controlar sua família e manter a calma, não é idiota na hora de perceber que há algo estranho e ir buscar ajuda.
Invocação do Mal ainda tem várias cenas marcantes, que você provavelmente não vai esquecer logo, como a das palmas na brincadeira de esconde-esconde (que está num dos trailers), a cena da boneca Annabelle, a cena em que os personagens conseguem registrar evidências concretas da assombração (em que várias coisas assustadoras acontecem, principalmente assombrações) e o clímax com a conjuração, do título original do filme. Conjuração, para quem não sabe, são palavras mágicas para afugentar o demônio.
É difícil dizer o que poderia ter sido feito de diferente nesse filme, já que ele supostamente respeita os fatos reais em que foi baseado, mas mesmo que não fosse não há nada que deveria precisaria ser alterado. Tudo que vem nas quase duas horas de duração de Invocação do Mal compensa e vale muito a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário