sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Crítica: Questão de Tempo


Questão de Tempo (About Time, 2013), uma dramédia romântica (um gênero em extinção nos cinemas), é tão emocionante e belo que uma assistida a ele é mais que recomendada. O protagonista do filme é Tim Lake (Domhall Gleeson) que, aos 21 anos, descobre por seu pai (Bill Nighy) que todos os homens de sua família tem o dom de viajar no tempo. Assim, Tim começa a usar sua habilidade especial para ajudar os outros e, principalmente, encontrar o que sempre quis: um amor. E, assim que o encontra em Mary (Rachel McAdams), não vai deixar ele escapar.
Questão de Tempo é um filme tão emocionante e adorável em todos os sentidos que eu, em particular, não consigo apontar falhas nele. Bem, talvez só uma, que seria a incoerência da viagem no tempo e suas regras, mas isso é algo pequeno e que não prejudica/piora em nada a qualidade do filme. Ele é excelente. A história que ele traz tem uma mensagem tão boa, tão grande e é tão bem passada que vai ser muito difícil alguém ser humano que possua coração não se sentir tocado e não pensar sobre a principal questão do filme: como nos vivemos nosso dia a dia? Nossa rotina, cheia de pequenas coisas que devíamos valorizar mais? Nós realmente vivemos nosso dia como se fosse o último? E qualquer filme que traz questões que ficam na nossa mente depois de vermos ao filme, contando com personagens tão carismáticos e humanos, uma história de amor real, com dramas e decisões reais e tão bonita, vale a penas. As atuações de Questão de Tempo são excelentes, com destaque para o casal protagonista Domhall Gleeson e Rachel McAdams (cheios de charme e com muita química) e para o pai do personagem de Domhall, interpretado por Bill Nighy. O roteiro e a direção de Richard Curtis são muito mais que competentes, oferecendo ótimas cenas como o primeiro encontro do casal às escuras, o casamento deles e última cena de Tim e seu pai. E, por último, temos também uma ótima trilha sonora (com destaque para a música "How Long will I love You?", que toca inteira nos créditos).
Então, só me resta dizer: assista. Questão de Tempo é um filme excelente, e um dos melhores que eu assisti em 2013. Mesmo que você não goste de romances, eu tenho certeza que esse filme vai te tocar e fazer você pensar em sua vida... e só isso já faria valer a pena.

Nenhum comentário:

Postar um comentário