domingo, 9 de março de 2014

Crítica: 300: A Ascensão do Império


7 anos depois do primeiro 300 ter um final trágico e definitivo vem uma sequência. 300: A Ascensão do Império (300: Rise of an Empire, 2014) continua a história das guerras Greco-Pérsicas, dessa vez apresentando a Batalha de Salamina, que ocorreu antes, durante e após os eventos do filme original. E, no coração dessa batalha, está a comandante naval persa, Artemísia, o grande destaque dessa sequência.
O filme é bem simples e bobo. Não há muito uma história, mas nem por isso ele não diverte. Ainda que seja um filme que não precisava ter sido feito (300 não pedia uma continuação), é legal vermos batalhas épicas e centenas de litros de sangue computadorizados sendo espirrados na tela (e aí que está a graça de vê-lo em 3D- além da profundidade que deixa algumas cenas bem mais épicas). Mas não se preocupe com a violência: na grande maioria dos casos ela é estilizada e bem irreal mesmo (no mesmo estilo de estilização do primeiro 300).Uma boa direção de Noam Murro merece os créditos por isso. O protagonista do filme, Sullivan Sepleton, cumpre bem seu papel como o General Temístocles. Os personagens coadjuvantes também, como a Rainha Gorgo (Lena Headey) e Xerxes (Rodrigo Santoro), em pequenas aparições.
Mas, o ponto alto desse filme é Eva Green. A atriz interpreta a vilã Artemísia de uma maneira louca, malvada, feroz, e por isso você até torce por ela. As falas da personagem são muito boas (como as de todo o filme, em geral, com uma certa épica), mas o que faz a diferença é mesmo o jeito que Eva dá a sua Artemísia, de modo que se, como erroneamente divulgado em 2011, o título desse filme realmente tivesse sido 300: A Batalha de Artemísia, seria com todo o merecimento. E a vilã ainda protagoniza a cena de sexo mais selvagem de um filme (ao lado de Temístocles).
Ainda que não seja nada mais que um filme simples, 300: A Ascensão do Império diverte com batalhas épicas, montes de violência e sangue estilizados, um bom 3D e a sensacional Artemísia de Eva Green.

Nenhum comentário:

Postar um comentário